segunda-feira, 29 de junho de 2015

Spoilers… o que têm a ver?

Muita gente que contar detalhes da trama estraga o filme, o livro, etc., e eu ficando imaginando o quão expectadores de telenovelas eles são. Pois somente telenovelas ficam dependentes de surpresas na trama para sem “boas”. Obviamente, é interessante sermos pegos de surpresa em determinados momentos da trama, mas é claro que, se porventura do bom destino nos chegarem informações do enredo antes de termos visto o filme ou lido o livro, esses “spoilers” não desmerecem a obra. Pois, a exemplo da literatura, o leitor não lê bons livros, mas se apresenta a eles… começa a trava amizade e convívio com Hamlet, Folhas de Relva, Urizen, e por aí vai, sendo o prazer ampliado a cada releitura, porque essas obras não dependem de suas tramas, mas de mil outros elementos para prolongarem sua vida útil. Se uma obra é estragada por esses “estragadores” é porque essa obra em si era porcaria e, seus fãs, inconscientemente, telespectadores de novelas mexicanas.
O mesmo vale para os que querem saber demais da trama e dos personagens após ter terminado o livro, o filme. “ah, será que fulano e ciclano se casaram?”, “O Harry Potter fez depois de destruir Voldemort?”, etc., etc. A obra precisa ter o seu vazio – sua parte não escrita é essencial para sua qualidade. O mistério deve ser melhor que sua revelação… isso é o que compõem a grandeza da literatura. E não o prazer dos telenoveleiros, que querem saber tudo como se estivessem lendo revista de fofocas. E ficam brabinhos se o autor não revela mais e mais (não querem comer merda também, para ver gosto tem?). E sobre os que amam finais felizes, querendo apenas finais feizes, ficando tristes chateados com finais tristes, não darei uma palavra. Aí é falar demais sobre a escrotidão de adultos mal crescidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário